Quarta, 20 de Janeiro de 2021 03:06
(37) 98812-8974
Saúde Coronavírus

Nova variante do coronavírus pode ser até 70% mais transmissível

Após descoberta de cepa mais contagiosa da Covid-19 no Reino Unido, Boris Johnson anunciou novo lockdown

21/12/2020 02h13 Atualizada há 4 semanas
Por: Cidade Notícia Fonte: G1
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, disse neste sábado (19) que a nova mutação de coronavírus localizado no Reino Unido pode ser até 70% mais transmissível, segundo análise preliminar.

Não há evidências de que a variante provoque casos mais graves ou com maior índice de mortes, nem mesmo que seja resistente às vacinas. Entretanto, se confirmada por estudos científicos, a mutação não será a primeira a trazer vantagens para a transmissão do Sars-Cov-2.

Durante o pronunciamento neste sábado, Johnson afirmou que os planos para aliviar as restrições de circulação durante o Natal seriam cancelados como tentativa de frear a disseminação do vírus.

Mutações no coronavírus: tire dúvidas sobre impacto na vacina, 2ª onda e reinfecção

"Dadas as primeiras evidências que temos sobre esta nova variante do vírus, e o risco potencial que ela representa, é com o coração muito apertado que devo dizer que não podemos continuar com o Natal como planejado" - Boris Johnson, primeiro-ministro do Reino Unido.

Agora no nível 4 de restrições, os britânicos não poderão se reunir em locais fechados com pessoas que moram em casas diferentes. Para áreas abertas, reuniões só estarão liberadas por um dia.

Análise preliminar da mutação

De acordo com o líder médico da Inglaterra, Chris Whitty, "como resultado da rápida disseminação da nova variante, dados de modelagem preliminares e taxas de incidência em rápido aumento no sudeste", o país "agora considera que a nova cepa pode se espalhar mais rapidamente.”

Whitty também disse ter alertado a Organização Mundial da Saúde (OMS), e que continuam a "analisar os dados disponíveis para melhorar o entendimento" da nova cepa do vírus.

"Deixar de agir com decisão agora significará mais sofrimento. Devemos continuar nos perguntando 'estamos fazendo o suficiente, estamos agindo com rapidez suficiente?'", disse Jeremy Farrar, membro do Grupo de Aconselhamento Científico para Emergências do governo (SAGE), em uma rede social.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias