Argentina

Mãe desperta de coma ao ouvir pedido da filha em hospital: ‘Momento mágico’

Uma mulher de 42 anos despertou de um coma de 30 dias ao ouvir um pedido de uma das filhas.

30/11/2019 14h17
Por: Expresso Notícia
Fonte: BHAZ
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Uma mulher de 42 anos despertou de um coma de 30 dias ao ouvir um pedido de uma das filhas. A garota foi visitar a mãe no hospital e, em determinado momento, disse estar com fome. Foi então que a genitora se moveu sozinha, levantou a camisola que usava e a amamentou. O caso ocorreu na cidade de San Fracisco, na Argentina, no último fim de semana.

De acordo com o The Sun, Maria Laura Ferreyra entrou em estado vegetativo depois de ser assaltada e agredida. Ela sofreu uma queda e bateu a cabeça violentamente. Como resultado, médicos descreditaram que a mulher poderia voltar a ter suas capacidades cognitivas normais e chegaram a sugerir, inclusive, que ela tivesse os órgãos doados.

O marido de Maria, Martin Delgado, no entanto, recursou tal possibilidade e 15 dias depois exames neurológicos mostraram que a mulher ainda tinha atividade neurológica, embora não acordasse do coma. Foi então que, gradativamente, ela começou a recuperar os movimentos.

O ápice do desenvolvimento da mulher ocorreu, no entanto, no último fim de semana, quando a filha mais nova do casal foi à unidade de saúde para visitá-la. A garota se deitou no colo da mãe e fez sons que costuma fazer quando está com fome. Imediatamente a mulher se moveu e começou a amamentá-la. Para Martin, o momento foi único e mágico. “Foi mágico, um momento único. Todos choramos. Ver o abraço delas e o instinto materno foi maravilhoso. Sou iluminado por testemunhar aquele momento”, comentou o marido à emissora de TV El Doce.

Segundo o jornal El Períodico, Maria ainda não responde aos estímulos, mas Martin acredita que o fato de ela ter amamentado a filha é uma ótima notícia. Agora, a família está esperançosa de que a mulher volte em breve para casa. Além da menina, o casal tem outros dos filhos. A paciente foi transferida do CTI (Centro de Tratamento Intenso) para um quarto normal, onde segue recebendo os cuidados necessários para que se recupere.

As autoridades de Córdoba, na Argentina, abriram uma investigação na tentativa de localizar e punir o agressor de Maria, mas o processo ainda está em andamento.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.