Novembro Azul

Novembro Azul lembra aos homens que é preciso cuidar da saúde

O câncer de próstata, tema central da campanha, é a segunda maior causa de morte por câncer no Brasil e é a mais comum entre as pessoas do sexo masculino.

01/11/2019 13h28
Por: Expresso Notícia
Fonte: Itatiaia
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Após o Outubro Rosa, que lembra a importância das mulheres fazerem o exame de mamografia para prevenirem o câncer de mama, o mês de novembro faz um alerta aos homens para que fiquem em dia com a saúde, principalmente quando o assunto é câncer de próstata. No Brasil, segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), a doença é a segunda mais comum entre os homens (atrás apenas do câncer de pele não melanoma). Ainda de acordo com o Instituto, estão previstos mais de 68 mil casos de câncer de próstata neste ano.

Para o médico oncologista da Oncomed BH, Elias Lima, trata-se de um problema de saúde pública no Brasil e no mundo. “A medicina tem colocado um desafio de tentar curar mais pacientes, evitando mortes pelo câncer de próstata. Então, uma forma de se evitar essas mortes é tentar chegar a um diagnostico mais precoce”, explica o médico.

Embora este tipo de câncer seja comum, por medo ou por desconhecimento, muitos homens preferem não conversar sobre o assunto e nem ir ao médico. Portanto, é preciso quebrar este tabu. O oncologista diz que “o estigma ainda é muito grande na sociedade. Os homens realmente têm uma resistência muito grande. Mas, muito desse preconceito tem caído porque as famílias têm se conscientizado da importância da prevenção ao câncer de próstata”.

Segundo o Ministério da Saúde (MS), existem alguns fatores que podem aumentar as chances de um homem desenvolver câncer de próstata: a idade (no Brasil, a cada 10 homens diagnosticados, 9 tem mais de 55 anos), histórico de câncer na família e obesidade.

Elias Lima explica que, de uma forma geral, a recomendação da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) é que a partir dos 50 anos o paciente deve procurar um médico para fazer os exames (de toque retal e Antígeno Prostático Específico - PSA).

O tratamento da doença é feito por diversas modalidades/técnicas que podem ser combinadas ou não. A principal delas é a cirurgia. Nesse caso, pode haver aplicação de radioterapia e tratamento hormonal, conforme cada caso.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.